24/11/2017


Parabéns ao empresário da Rede Connect, Rogério de Paula, que agora é cinquentão. Sua amada Cleudima de Paula reuniu os familiares, funcionários e amigos mais chegados para uma confraternização dos seus 50 anos, na Casa do Rotariano, no Ibituruna. Na foto, o aniversariante durante os parabéns, com Keu, os filhos Tiaguinho, Róger e o irmão Eduardo. Para ele, muita saúde e viva longa! (Gutembergue Brilhante)


A deputado federal Raquel Muniz com o ex-prefeito Ruy Muniz e o presidente Michel Temer em jantar nesta semana, no Palácio da Alvorada, tratando do importante tema da Reforma Previdenciária


A nova Miss Beleza Negra é Leila Pereira de Jesus. A final do concurso aconteceu na última segunda, no Mansão Interlagos, com a organização de Brexó Santos. Quem marcou presença foi o deputado Carlos Pimenta com sua esposa, a médica Cláudia Borém, que curtiu o show do grupo folclórico Sarué (Silvana Mameluque)


O empresário Sérgio de Quadros com o amigo Rodrigo Silva, que o recebeu em sua última viagem para Nova York, onde está curtindo merecidas férias

 

Sala Vip

*Marcado para o dia 4 de Dezembro, no Automóvel Clube de Montes Claros, o tradicional coquetel de confraternização da ACI e FIEMG com a Imprensa. O convite é do presidente da Associação Comercial e Industrial Newton Figueiredo e do presidente da Fiemg, Adauto Marques Batista.

*O Grupo de Apoio à Prevenção e aos Portadores da AIDS (GRAPPA) lançou nesta terça-feira na sede da instituição, a Campanha “Fundo para a Infância e Adolescência (FIA)” com o objetivo de atender crianças e adolescentes que vivem e convivem com o HIV/AIDS: GRAPPINHA. O lançamento da campanha contou com a participação dos atletas e da Comissão Técnica do MONTES CLAROS VÔLEI que visitarão as instalações do GRAPPA e conhecerão de perto a realidade e trabalhos desenvolvidos pela instituição. Os atletas e CT irão presentear com brinquedos aproximadamente 20 crianças durante o lançamento da campanha do FIA.

*A Associações Comerciais afiliadas à Federaminas – Federação das Associações Comerciais do Estado de Minas Gerais – indicam um de seus associados para ser homenageado em nível estadual. A cerimônia de entrega do “Prêmio Empresário do Ano 2017” será neste sábado, 25, no Tauá Grande Hotel em Araxá, e o indicado pela Associação Comercial Industrial e de Serviços de Montes Claros é o empresário Marcelo Miranda, da clínica Sorrisus.

*Com nossa chuva não quer mesmo cair aqui na terrinha, o boa praça Pancho Silveira curte uma chuva em um paraíso, Angra dos Reis, no Rio.

*Nesta semana a família do meu colega da Revista Vida, Waleriano Vandeick está em luto com a perda de sua sobrinha Anna Fernandes Brito. Aos pais Iracemília Fernandes e João Brito meu sinsero pesar pela morte tão prematura!

*Entre os aniversariantes queridos desta semana estão minha vizinha Marlene D´Angeles, Edmilson Guimarães, Denise Bicalho, Luiz Montes, Renato Norberto.


Nas comemorações do Dia Internacional de Igualdade Racial, a secretaria municipal da causa organizou uma bela festa ao lado do casarão dos Oliveiras. Na organização o secretário José Gomes com a professora Rosângela Matos (RickJunioR)


Eles Merecem e se destacam como um dos melhores buffe´s da região, Ivan, Zilmar Fonseca e o filho Júnior Oliveira, nas praias da Bahia


E quem está curtindo um tour pela Itália é a empresária da beleza Rose Fray


Na homenagem ao Rotary Clube Liberdade, na Câmara Municipal, a alegria da presidente Rita Maluf com os rotarianos e amigos que marcaram presença. Após, eles foram comemorar no restaurante Ilha Bela, no Ibituruna.

 

LUIZ DE PAULA FERREIRA. Um baluarte em nosso Brasil. Viveu 100 anos, construindo uma linda história. Tive a honra de conviver com ele e entregar a ele o Troféu Lazinho Pimenta. Deixa sua amada Maria Izabel, seus 5 filhos e netos. Não vou falar do empreendedor que foi, pois ele é uma personalidade das mais conhecidas. NOssa homenagem fica aqui com a sensível crônica do grande mestre Wanderlino Arruda.

“Nascido em 27 de junho de 1917, Luiz de Paula Ferreira é um milagre. Tudo na sua vida deu certo. Tudo: sonhos e realidade, jeito de ser e de viver. Comportamentos, atitudes, hábitos, numa receita sábia, e manhosamente aviada desde os velhos tempos de Roma: “Não basta ser, é preciso parecer”. Luiz – em todos os decênios que marcaram a idade do menino, do jovem e do adulto – foi e pareceu inteligente quase por um dever de fé e destinação. Querendo – quem sabe – até sem querer, jamais pôde fugir das luzes de uma generalizada admiração de próximos e distantes. Conservador e revolucionário, sempre teve como medida o comedimento, coisas de antigo PSD, que não fazia reunião sem antes de tudo estar resolvido. Luiz sempre soube ver e antever, vestido e revestido de inigualável poder de avaliação. Sabido, tranquilo e limpinho como um gato, no dizer do nosso saudoso João Valle Maurício.
Em seus livros – conjunto fantástico de retalhos intensamente coloridos da vida interiorana brasileira do Século XX – Luiz de Paula é narrador e personagem, iluminador e fotógrafo, ao mesmo tempo retratista e retratado em cenas que ele próprio sempre se inseriu. Dono de poder material e imaterial, produziu textos mais do que vivos – do seu e do nosso agrado – encarnando e reencarnando uma tradição oral de esperteza, que muito será discutida no futuro, quando as máquinas e os chips ocuparem com primazia a diretiva humana. Os relatos, as crônicas, a prosa poética, até os contos que ele – por segurança e sabedoria, diz de ficção – representam o que a Literatura pode ter de melhor na fixação de imagens e vivências, conteúdo importante porque só possível aos que o viveram com entusiasmo.
Um pouco mais novo que Luiz, tendo vivido pelo lado de dentro e de fora de uma casa comercial – ouvinte e visualizador atento – bem sei do quanto o relar o umbigo no balcão valeu para nós. Ali nada passava despercebido no universo das pessoas e das coisas, seja ouvindo uma sanfona de oito baixos, seja engraxando sapatos ou controlando os movimentos sinuosos dos bêbedos. Era a vida imitando a vida, para criar memórias que só a escrita pode fixar, resumindo um musicar e um cantarolar de lembranças que só um bom narrador consegue pôr no papel.
Purista corajoso do idioma, Luiz de Paula Ferreira conduz o leitor à excelência da fala brasileira, com todo o condão de quem sabe fazer mágica com a inteligência e o gosto do verdadeiro contador de causos. No que toca à missão do homem no viver e conviver, no amar e no sonhar. Experimente-o como quem sabe sugar o sumo doce de uma jabuticaba bem madurinha, o andar de bicicleta em tempo de Primavera e o ver e ouvir o sapateado de um cantador de coco.
Concluo, afirmando que seus livros são desafios, trabalho em espanto de vida, aceitação de mistério. Suas páginas foram escritas em áureo e doce dealbar de músicas e de sonhos. Tudo plural: douradas iluminuras nas capas e, no interior, lindos coloridos, tudo bem serenado em universo de ideias. Um luxo!”
(Wanderlino Arruda)

 

Rio de Janeiro e seus políticos canalhas
Como era de se esperar, afinal o Rio de Janeiro não pode se transformar em uma terra sem lei. Esperamos que os carioras Dêem o troco e acabem com a Assempléia Legislativa nas próximas eleições. O Tribunal Regional Federal do Rio decidiu o restabelecimento da prisão do presidente da Assembleia Legislativa, Jorge Picciani, e os deputados Paulo Melo e Edson Albertassi, todos do PMDB.
Os juízes federais da 1ª Seção Especializada do TRF, por unanimidade, consideraram ilegal os atos da Alerj na sessão que revogou a prisão dos parlamentares, bem como restabeleceu os mandatos dos três. Cinco magistrados participaram da votação.
Em questão de ordem, o juiz Abel Gomes, relator da Operação Lava Jato no TRF do Rio, afirmou que a Alerj “exorbitou nos que podia deliberar” ao promover a soltura dos deputados junto à Secretaria de Administração Penitenciária apenas com a apresentação da resolução aprovada na Casa.
Gomes afirma que o Legislativo deveria comunicar o TRF da decisão para que tomasse as medidas necessárias, como expedição de alvarás de soltura. Até a tarde desta terça, o tribunal não foi comunicado oficialmente da decisão do Legislativo.
“Só pode prender quem pode soltar. Só poderia ser revogada por órgão judiciário competente, que seria nós. Só expede alvará de soltura, quem expede mandado de prisão”, disse Gomes.
O juiz federal Paulo Espírito Santo afirmou ainda que o episódio poderia motivar uma nova prisão preventiva dos envolvidos na soltura, por ter sido feita de forma ilegal.
O juiz federal defendeu ainda que, caso a nova ordem judicial a ser proferida não seja cumprida, os demais integrantes da Seção solicite a intervenção na Alerj ao STF (Supremo Tribunal Federal).
Gomes citou o fato de uma oficial de Justiça ter sido barrada na Alerj ao tentar notificar a Casa sobre decisão que determinou a abertura das galerias ao público.
O relator também afirmou que não cabia à Alerj restabelecer o mandato dos deputados, já que a decisão do TRF não falava sobre o cargo dos suspeitos.
“A Assembleia escreveu uma página negra em sua história”, disse o juiz federal Messod Azulay Neto, que seguiu o voto de Gomes.
Os três deputados da cúpula do PMDB-RJ foram presos na quinta (16) logo após a decisão do TRF de prendê-los em flagrante. Eles foram alvos da Operação Cadeia Velha, que investiga o pagamento de cerca de R$ 500 milhões a políticos feitos por donos de empresas de ônibus.
No dia seguinte, a Assembleia Legislativa determinou a soltura dos deputados, bem como a restituição de seus mandatos. Picciani e Albertassi decidiram se licenciar do cargo no fim de semana, mas mantiveram as prerrogativas, como o foro privilegiado.
A prisão ocorreu porque na avaliação dos cinco juízes da 1ª Seção Especializada do TRF havia indícios de crimes em flagrante. Pesou na decisão a articulação dos deputados para nomear Albertassi conselheiro do TCE (Tribunal de Contas do Estado). Caso ele tomasse posse do cargo, o inquérito seria transferido para o STJ (Superior Tribunal de Justiça), o que foi entendido como uma forma de atrapalhar a investigação.
Também nesta semana, a justiça mandou que retornassem para a cadeia os ex-governadores Rosinha e Anthony Garotinho, para fazer companhia ao Sérgio Cabral. Agora só falta a prisão do governador Fernando Pezão, que também faz parte da máfia. Bando de ladrões e covardes que transformaram o belo Rio de Janeiro em um estado falido e totalmente sem segurança, saúde e educação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Post Navigation